Caju de cemitério

Aproveitei também o dois de novembro para ir ao cemitério. Fui fotografar e pude perceber uma vez mais que, embora sejamos todos iguais perante a morte, as pessoas insistem nas diferenças. O cemitério daqui mistura lápides de primeiro mundo com outras de terra batida. A fé das pessoas faz com que os túmulos estejam todos enfeitados nesta época, sejam eles de terra ou azulejados. Todos com velas e com flores. Só as flores é que são realmente diferentes, e por isto eu fui fotografar. No final de outubro vemos que várias casas começam a vender guirlandas de plástico. Como não há floriculturas na região, a alternativa é usar flores sintéticas e guirlandas de plástico mesmo, que são feitas em todas as cores, mas especialmente em branco, roxo e preto. O cemitério fica de uma beleza diferente, perdido entre o singelo e o bizarro. Os cemitérios daqui também tem outra característica. Todos tem cajueiros dentro deles, e talvez pela matéria orgânica, seus cajus sempre são bonitos e, segundo os mais corajosos, os mais saborosos.
ia18cajucemit
Bem, é isto. Fiquei muito tempo sem net, e estou com os relatórios atrasados, mas em pouco tempo já estarei enviando um novo, contando de minha viagem para Alter do Chão e da participação no Conselho Estadual da Criança e do Adolescente…
Para finalizar um novo nome bíblico que atendi… um menino chamado Ecliciarte.. oriundo de Eclesiastes.
Abraços a todos, repletos de saudades e agradecendo do fundo do coração os muitos e-mails e msgs no orkut pela minha nova primavera!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s