Pele… ponto fraco na selva

Os problemas mais corriqueiros com os quais tenho que me deparar são as irritações de pele. Especialmente no verão, a incidência aumenta muito, e não consigo imaginar o que possa dar jeito. É um problema histórico, já relatado nas primeiras pesquisas sobre saúde Kayapó, da década de 70. Eu também, após poucos dias nas aldeias, também fico ruim… mesmo sem ser alérgico. Na época de chuvas há muitos puté iaká (carapanã/mosquito/pernilongo/muriçoca) e muuuuuito pium. Por mais que o organismo esteja habituado e a pessoa se proteja,um ou outro inseto consegue vencer ao mesmo temo nossas proteções e resistência e… coceira! Acho que tem inseto que usa máscara para passar por cima dos repelentes, e outros que usam broca para picar por cima da roupa. Assim logo temos a equação: Feridas = coceira + unhas sujas ou terra. Embora alguns falem mal dos hábitos de higiene, distintos dos nossos, o problema, na verdade está relacionado ao dia-a-dia. Casas sem piso, convívio com animais e pouca roupa, aliás, nos casos de criança pequena: nenhuma roupa. Impossível não haver coceira e feridas.

3 comentários Adicione o seu

  1. Carlos Moura disse:

    Tive a experiência de ver das muitas picadas de pium que tomei, duas delas estrategicamente localizadas no meu calcanhar se tornarem uma bela ferida que a enfermeira do DSEI desconfiou ser Lesh de tão boinita e me recomendou descer para São Gabriel. Era só o resultado da mistura do barro do Tiquié na ferida.

  2. Sandro Monteiro disse:

    Uma das minhas experiências com o dito pium foi na calha do rio Purus (nas proximidades de Lábrea, AM). Foram cerca de 200 picadas nos dois braços e mãos, num único dia. Felizmente sem nenhuma consequência além das marquinhas das picadas e uma leve coceira. Uma curiosidade: desde pequeno sofri com rinite alérgica, depois de dois anos na região amazônica nunca mais tive qualquer caso de rinite, desconheço remissão deste mal, conjecturo se não foram as centenas de “vacinas” que tomei de piuns, mosquitos e vespas.

  3. Hellen Lopes disse:

    Nunca havia tinha tido reação alergica a qualquer picada de inseto, mas em Boca do acre sofri com pium somente senti no outro dia, coceira e irritação muita coceira…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s