Vivendo a moda antiga e… que inveja de uma cabeleira…

Nesta aldeia vou a casa de Seu Edvaldo e Dona Alaíde. Ele sofre de Parkinson e vou ver como está. Quando chego sou transportado a um universo paralelo. Um senhor que aparenta pouco mais de 60 anos, cabelos fartos e pretos como a graúna sentado em sua rede. Ele não sorri, a doença o impede, mas é clara sua alegria em nos receber. Ao seu lado grandes potes de barro, um jamaxi, algodão colhido e pronto para fiar, fogo de chão e trançados de buriti para um novo telhado. O jacamim correndo entre os frangos e as crianças “montando” na anta como se fosse um bezerro mostram que realmente estou em um universo maravilhosamente paralelo.

10 09 waiwai k jatapuzinho (63) 10 09 waiwai k jatapuzinho (69)

Na casa rústica, o fogo de chão, o grande pote de barro, feito ali mesmo e o jamaxi muito bem trançado.

                                          10 09 waiwai k jatapuzinho (66)

Fomos muito bem recebeidos por seu Edvaldo. Que inveja de seus cabelos negros!

3 comentários Adicione o seu

  1. Rosa disse:

    ola altamiro muito interessante esta do bote de barro viajei em meus prinicpios lá na roça em interior na divisa do estado de minas gerais e são paulo. Onde tem um bairro que se chama quilombo este bairro fica bem perto da minha casa lá. Este nome do bairro é porque lá antigamente era esconderijo dos negros então em homenagem a estes ficou como quilombo desde antes de eu existir. tem um artesão lá no quilombo ele trabalhva com minha mãe no hotel onde ela cozinhava para maluf e geraldo alkimim. conheço geraldo desde sua integração no meio politico do ingressou como vereador em Pinda e meu tio fazia almoço para ele com a corja toda e minha mãe era cozinheira e nós iamos juntos com ela para ajuda-la. Minha mãe numca recebeu um centavo até hoje coitada !! hj ela esta em outra dimensão da vida não entre nós . mas falando do ditinho joana ele faz maravilhas depois que trabalhou com minha mãe e ela foi madrinha do seu casamento o mesmo descobriu sua verdadeira vocação artesão e como´eu tem seus pricimpios em bisnetos de escravos. ainda tenho familiares por conta desta mistureba entre senhor de engenhos e escravos ( meu lado é dos escravos) pelo lado da minha mãe. meu pai é filho de portugues nato. mas entre no meu orkut que vc verá os trabalhos de ditinho lá no quilombo rosa.solis@ig.com.br este é o orkut beijão

  2. Tiago Veras disse:

    Bom dia,

    Belíssimo blog, fantástica experiência!!!
    Sou pneumo-pediatra em resido em Joinville.
    Abraço

  3. Irene Andrade disse:

    Cada vez que leio seus relatos me emociono e penso: quanta diferença vc faz na vida desta gente …e como elas fazem diferença na sua vida!
    !

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s