IA nas Nações Unidas: Parabéns Inácia

Campanha das Nações Unidas pelos Objetivos do Milênio

As Nações Unidas promoveram uma campanha para escolha de histórias sobre mulheres que fazem a diferença para a conquista dos Objetivos do Milênio. Um texto das Impressões Amazônicas contando a história da Enfermeira Inácia Freitas que trabalha com os Kaiapó foi escolhida uma das Unsong MDH Hero (Heróis Desconhecidos dos Objetivos do Milênio).

Vejam no site http://www.endpoverty2015.org/en/women-make-it-happen-awards a história de Inácia, que se encontra aqui nas Impressões Amazônicas. 

pykararankre_dez07 026

Inácia é uma guerreira, tão forte e dura como os indígenas Kaiapó que ela auxilia. Por mais de seis anos esta pequena enfermeira devota sua vida a ajudar aquele povo na floresta amazônia, nas margens do rio Xingu. O trabalho começa com as gestantes. Ela faz testagem de HIV e sífilis, fala sobre nutrição, acompanha até as roças, pesa ou simplesmene as toca e escuta como uma boa amiga. Sim, pois Inácia aprendeu a língua Kaiapó para melhorar seu trabalho. As mulheres Kaiapó aprendem em sua juventude como ajudar uma mulher em trabalho de parto, e Inácia está sempre com elas no parto, ajudando, ensinando e aprendendo ao mesmo tempo. Crianças são acompanhadas desde que nascem. Seu trabalho, que ajuda a reduzir a desnutrição entre os pequenos curumins foi apresentado e premiado em um Congresso Nacional de Saúde. Inácia tem ajudado a reduzir a mortalidade infantil, melhorando a saúde materna e combatendo HIV/AIDS e outras doenças. Para os indígenas Kaiapó das aldeias Aukre, Pykararankre e Kendjan ela faz a diferença.

15 comentários Adicione o seu

  1. Pingo disse:

    Um grande abraço e parabéns pelo prêmio das Nações Unidas,

    Pingo, Bia e Davi

  2. Bia disse:

    Fiquei muito emocionada com a escolha da Inácia como uma das “heróínas” pelas Nações Unidas. Principalmente por ter visto de perto diversas vezes o trabalho dela na aldeia, por conhecer pessoalmemte ela e o seu comprometimento com os Kayapó, e inlcusive ter sido examinada por ela quando eu estava grávida na aldeia! rs. Ela merece, fiquei muito feliz.

    Um grande abraço e continue mandando notícias!
    Bia

  3. Quero comunicá-lo, já que disse que o que publica pode ser reproduzido, como também o que eu publico de minha autoria esta a disposição de todos. Republiquei o seu post da Enfermeira Inácia Freitas e esta fazendo um tremendo sucesso, espero que isto e a inserção de seu Blog na lista de Blogues que acompanho e recomendo, estejam enviando novos leitores ao seu Blog.
    Abs,
    vamos nos falando.
    José Fonte de Santa Ana

  4. Deusarino de Melo disse:

    PARABÉNS pequena e grande INÁCIA!
    É de mulheres como tu que o país precisa! Mas preisa ajudar também, dando-te condições amplas para o desempenho de tuas funções sem tntos sacrifícios. AQUI DEIXO UM “ALOOOO” BEM GRANDE PARA A MÃE DOS BRASILEIROS, PRESIDENTA DILMA PARA QUE ELA TE CADASTRE COMO UMA BRASILEIRA ESPECIAL E DIGNA DE AJUDA!!!

  5. Sidney disse:

    Amigo, parabéns para a Inácia e para você, que a divulgou. E obrigado pelas crônicas.
    Abração !
    Sídney
    Belém-PA

  6. Carmen Barreira disse:

    Muito legal.
    Parabéns Inácia e todos que tornaram a história e as ações possiveis.
    Beijos,
    Carmen

  7. PAULO GEOVANE FREITAS disse:

    PARABÉNS PARA MINHA TIA, ELA MERECE ESTE PRÊMIO SIM, POIS É UMA MULHER CORAJOSA QUE ENFRENTA SEUS PROBLEMAS DE FRENTE, SEI QUE ESTE É APENAS UM DOS MUITOS OUTROS PRÊMIOS QUE VIRÃO, AMO MINHA TIA, ELA É COMO UMA MÃE PARA MIN E VENHO AQUI COM TODO ORGULHO QUE UMA PESSOA PODE CARREGAR EM SEU CORAÇÃO PARABENIZÁ-LA POR MAIS UMA CONQUISTA, OBRIGADA TIA POR TUDO QUE FAZER-TES POR NÓS BEIJÃO DO SEU FILHO

    PAULO GEOVANE FREITAS BARBOSA.

  8. Marcus Vinícius Freitas disse:

    Parabens para vc minha amada mãe, pois sei q vc mereçeu esse prêmio, pois sempre foi seria em seu trabalho, fazendo tudo certo e sem brincadeiras, muitas vezes ia para a aldeia trabalhar e ficavamos sem vc em ksa, mas agora sei que tudo isso valeu a pena, pois vc é uma mulher guerreira e trabalhadeira, tenho muito orgulho de vc minha kerida mae, bjs Te AMO

    By: Marcus Vinícius.

  9. Maria das Mercês de Jesus Freitas disse:

    Inácia é mercedora deste reconhecimento é uma pessoa compromissada, competende e que gosta do que faz.
    Parabens Mana você merece sua familia está orgulhosa de você.

  10. Inacia Freitas Bittencourt disse:

    É carissimos, a jornada é dura e pesada, mas não posso parar, pois é com o reconhecimento e depoimento de pessoas assim como vocês e com premios como este agregados as vidas salvas e aos pesos inúmeros recuperedos além de muitas gestantes acompanhadas ao longo destes oito anos de trabalho com o povo Kayapó que fazem o meu trabalho valer a pena e que me dá cada vez mais e mais forças pra continuar, fazendo essa tão grande diferença, trabalhando em péssimas e insalubres condições além de um verdinhoso salário, mas com a certeza de que todo esse esforço vale a pena e com certeza faz a diferença para os indígenas a quem eu assisto, os quais confiam em mim e em meu trabalho, confiança esta conquistada ao longo de todos esses anos através de trabalhos com as comunidades, palestras, conversas informais nas casas, nas beiras dos rios, nos fins de tarde nos postos de saúde entre muitos e muitos atendimentos através dos quais eles os proprios indígenas puderam ver e acompanhar o resultado a médio, longo e em algumas vezes a curto prazo. No inicio, tudo era muito dificil, por eles não memconhecerem e por isso não tinham confiança em mim, pois os Kayapós são muitos desconfiados, mas eu fui persistente, insisti andei, conversei, visitei e aos poucos fui conquistando a confiança deles com os resultados do meu trabalho. Hoje, graças a Deus consigo acompanhar bem todas as gestantes, coletar PCCU, se preciso avaliar e examinar vaginas vulvas e penis, é tanto que ficam aguardando a minha chegada, para isso ou aquilo, às vezes estou cansada da vigem de chegada mas tenho que fazer reuniões ou palestras porque estão me esperando e não quero decepcioná-los. Pois eles tem uma referencia e confiança muito grande em mim. è esse o meu trabalho, é assim o meu compromisso com eles, um trabalho sério, dificil por incluir questões culturas, por isso tem que ser cauteloso e também meticuloso além é claro de paciente e perseverante. Inácia Freitas Bittencourt.

    1. filho disse:

      LOl .. bittencuort….

  11. Deusarino de Melo disse:

    É meu segundo comentário neste trabalho e o fço diretamente a /////////onacia, dando-lhe liberdadee para responder ou não sobre se há interesse dos kayapos no recebimento de meias para suas apresentações de danças folclóricas e para seu vestuário quando de outras apresentações ou visitas, a exemplo do que fazem também os xinguanos. CONFIRME e eu estarei pronto a mandar para o endereço indicado a encomenda. ABRAÇIOS e mais uma verz PARABÉNS!!!!

  12. Inacia Freitas Bittencourt disse:

    Bom meu caro!
    Os Kayapós geralmente não usam meias para suas festas, danças e apresentações folclóricas, mas as usam para suas olimpíadas gincanas e jogos indígenas, disputados nas aldeias e também no município aqui de Ourilândia, eu trabalho com cinco aldeias e um PV (Posto de Vigilância) Aúkre, Kendjãn, Pykarãrãnkre, Kôkôkuêdjã, Turedjãm e PV Rio Juari (Mikin). Geralmente tem dois times masculinos e um feminino em cada aldeia, com exceção da aldeia Kôkôkuêdjã e o PV que é apenas um de cada, dai é só fazer as contas: 33 + 33+33+33+22+22= 176 Pares. Se quiser, podes enviar de cores diversas, assim, cada time uma cor, pois eles gostam muito de cores fortes e diversas (vermelho, azul, verde, amarelo, laranja, roxo, rosa, preto) ou misturados. O endereço para envio pode ser o do escritório onde trabalho para atendê-los quando não estou nas aldeias.

    Inácia de Jesus Freitas Bittencourt.
    Rua Piau, Nº 760 Setor Azevec, CEP 68390-000 Ourilândia do Norte Pará

  13. Inacia Freitas Bittencourt disse:

    Bom meu caro!
    Os Kayapós geralmente não usam meias para suas festas, danças e apresentações folclóricas, mas as usam para suas olimpíadas gincanas e jogos indígenas, disputados nas aldeias e também no município aqui de Ourilândia, eu trabalho com cinco aldeias e um PV (Posto de Vigilância) Aúkre, Kendjãn, Pykarãrãnkre, Kôkôkuêdjã, Turedjãm e PV Rio Juari (Mikin). Geralmente tem dois times masculinos e um feminino em cada aldeia, com exceção da aldeia Kôkôkuêdjã e o PV que é apenas um de cada, dai é só fazer as contas: 33 + 33+33+33+22+22= 176 Pares. Se quiser, podes enviar de cores diversas, assim, cada time uma cor, pois eles gostam muito de cores fortes e diversas (vermelho, azul, verde, amarelo, laranja, roxo, rosa, preto) ou misturados. O endereço para envio pode ser o do escritório onde trabalho para atendê-los quando não estou nas aldeias.

    Inácia de Jesus Freitas Bittencourt.
    Rua Piau, Nº 760 Setor Azevec, CEP 68390-000 Ourilândia do Norte Pará

    Ou em minha própria residência sito à Rua Augusto Bahia, Nº 71, Setor Marcia Veloso Cep 68390-000 Ourilândia do Norte Pará

  14. Anglizei Lima disse:

    O meu comentário Inácia, é de uma colega de muitos anos que sentava nos mesmos “assentos” da ensinagem (Enfermagem/UEPA), orgulhosa e feliz pelo seu sucesso profissional e reconhecimento. Pois a Enfermagem brilha mais hoje, com pessoas como você – Enfermeira, cuidadora de pessoas que habitam áreas tão remotas para o cuidado humano, que com certeza enfrenta uma série de adversidades para prestar um cuidado culturalmente competente, porém se debruça sobre o cuidar diferenciado…. Qunado finalizei a graduação em enfermagem, escrevi acerca das crenças e assistências culturalmente competente a etnia Arara do Iriri, Altamira, Pará, Brasil, fazendo uma pesquisa que me permitiu mergulhar no Universo destes Povos. Hoje, vendo essa matéria me traz lembranças gratificantes e uma nostalgia de como nós enfermeiros fazemos a diferença no cuidar humano, aquele cuidado do “tocar com os olhos, com a boca, com o cheiro, com os ouvidos e com as próprias mãos, é por isso que fazemos a diferença, você… GRANDE ENFERMEIRA INÁCIA, faz isso muito bem, o seu depoimento acima certifica o que falo cuida desses povos tocando com todos os seus sentidos aguçados e habilidosos quando vê, observa, examina; fala, realiza reuniões, rodas de conversa nas ocas, as margens dos rios… isso é muito lindo. É de um valor transcedente o olfato para nós cuidadores, pra você com certeza também é, os ambientes das aldeias tem um cheiro próprio, que só quam assiste nestas áreas sabe o que é isso, o perfume deles é próprio, diferente do nosso (homens não índios), e nós precisamos entender e compreender isso, faz parte da transcedência do cuidar.
    Ah, minha colega! Os ouvidos, esses sim, são os que fazem realmente o cuidado por nós enfermeiros ser diferenciado; é claro que não menosprezando os outros sentidos, mas é o saber ouvir, a escuta, que nos dá subsídio para planejar o nosso cuidado de Enfermeiros, e ai, é um dos maiores obstáculos que a maioria dos profiissionais com certeza encontram, pois só sabemos falar a nossa língua, quando não alguns que já tem o domínio de outros idiomas fluentemente.
    Quanto as mãos, estas completam o cuidado, porque não basta só tocar com as mãos e/ou ealizar procedimentos, é preciso sim continuarmos na Enfermagem continuarmos tocando com as mãos sim, mas também com os olhos, a boca, os ouvidos e o olfato, é por isso que fazemos a diferença no cenário da saúde.

    É isso aií Enfermeira Inácia!! Parabéns!!!

    Saudações da Enfermagem Culturalmente Competente!!!

    Abraços,

    Enfermeira Anglizei Lima

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s