Vacinando na Aldeia

Iniciamos o trabalho de vacinação. É impressionante. As crianças escutam seus nomes e vão sozinhas para o “banco da vacina”, onde sentam e esperam, sem cara feia, sem pio e sem choro. O vacinador chega, elas levantam a manga da blusa e assistem a aplicação. Nem uma lágrima. Bem diferente de nossas crianças, que as vezes precisam de mãe, pai, avó e todo o time de enfermagem para segurar. Aí que a gente fica pensando… nem mesmo a dor é sentida igual. Tudo que vivemos é um reflexo de nossa cultura e está diretamente relacionado a ela.

11 05 Mapae (42)

Este post faz parte das Impressões Integrais 74

1 comentário Adicione o seu

  1. Aline disse:

    Mostrei para Pedro. Mas acho que ele não vai mudar. abraços

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s