Vacinando na Aldeia

Iniciamos o trabalho de vacinação. É impressionante. As crianças escutam seus nomes e vão sozinhas para o “banco da vacina”, onde sentam e esperam, sem cara feia, sem pio e sem choro. O vacinador chega, elas levantam a manga da blusa e assistem a aplicação. Nem uma lágrima. Bem diferente de nossas crianças, que as vezes precisam de mãe, pai, avó e todo o time de enfermagem para segurar. Aí que a gente fica pensando… nem mesmo a dor é sentida igual. Tudo que vivemos é um reflexo de nossa cultura e está diretamente relacionado a ela.

11 05 Mapae (42)

Este post faz parte das Impressões Integrais 74

1 comentário Adicione o seu

  1. Aline disse:

    Mostrei para Pedro. Mas acho que ele não vai mudar. abraços

Deixe uma resposta para Aline Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s