come malagueta e come murupi, quem sabe do sabor é índio macuxi…

“bebe caxiri,
bebe macuxi.
come malagueta e come murupi,
quem sabe do sabor é indio macuxi”

O forró, da banda indígena Caxiri na Cuia, está na boca de todos em Roraima e confirma o que vamos experimentar. Da escadinha de dez filhos de Genésio e Eliane, oito estão lá. Mais a equipe de saúde e alguns vizinhos, logo a pequena varanda fica cheia de risos e crianças correndo. Chega mais gente e as brincadeiras sobre a resistência dos não-indígenas a damurida são as piadas da vez. Não existe nunca reunião fechada em aldeia. A solidão está sempre acompanhada.

Galinha cozida, lá vem a damurida – embora todos digam que “damurida de dia seguinte é mais gostosa”, mais encorpada. Para acompanhar farinha feita lá mesmo, grossa, amarela, servida na mão; beiju de tapioca, tradicional, seco no telhado; caxiri. Caxiri na cuia. Encorpado, de batata amarela, ainda pouco fermentado.

11 07 Damurida Flexal (26)

11 07 Damurida Flexal (40)

Este post faz parte das Impressões Integrais 78

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s