Acidente ofídico na aldeia

São 16:00h agora. O agente de saúde vem informar que no domingo (há cerca de 72horas) um indígena de uma comunidade próxima foi picado por uma cobra e não quis vir para cá. Próximo por aqui significa quatro horas de caminhada e com esta chuva até um pouco mais. Não adianta sair agora, será o…

A “maloca de Caras” e a maloca dos caras

Da pista para a aldeia se atravessamos uma pequena mata de árvores altas. A mata acaba e surgem as malocas, bem tradicionais. Em uma maloca circular pequena, tipo que só encontrei nas aldeias Ingaricó, usadas tradicionalmente para depósito de material e alimentos, as mulheres ficarão abrigadas: nutricionista, dentista e técnica de enfermagem. Embora seja comum…

Comendo frutas exóticas e algo mais na aldeia

A terra parece tão fértil quanto as mulheres. Escura. Promissora. Encontramos abacaxis, bananeiras, pés de manga, de goiaba, disto e daquilo. Isto é “uiui”, planta com jeitão de cuia e da qual comemos as sementes, cozidas. Aquilo parece um tomate ou um caqui duro. “mucru” pelo que pude entender, mas pode ser outro nome. Cozido…

Aldeia Mapaé

Estou na Aldeia Mapaé, bem próximo da base do Monte Roraima. Dizem que a vista é maravilhosa, o que ainda não pude conferir, pois chegamos sob tempo encoberto e desde então não para de chover. Esta é a aldeia Ingaricó mais distante, e onde é maior o índice de desnutrição, conseqüência mais do uso continuado…

Primeiras Impressões dos Ingaricó ! Direto da Serra do Sol

Só pousamos em Mapaé para pegar o restante da equipe. De lá vamos a uma comunidade chamada Área Única. Do alto vejo as 4 casas da pequena aldeia da etnia Ingarikó. Descemos e somos saudados pelo tuchaua Benedito, pelo agente de saúde Ralmundo e por outras pessoas. Não é como a confusão que acontecia quando…