Trabalho em Aldeia – Aldeia Samã

A saúde indígena traz muitos desafios, mas também muita satisfação por saber que se não fosse o trabalho realizado, milhares de brasileiros em todo o Brasil não teriam a assistência que lhes é assegurada pelo SUS. Dentista Ednara. Téc. de Enfermagem Lucidalva, fazendo a vigilância nutricional.    Enfermeiro Alessandro… ainda com o bom e velho…

Samã. Que lugar bonito!

Aldeia Samã: posto de saúde, malocão, Pico do Samã ao fundo Este post faz parte das Impressões Integrais 77

O papagaio na janela

Aldeia Samã… lugar divino!   Este post faz parte das Impressões Integrais 77

Noite na barraca

Noite na barraca. O vento soprando assobia e embala meus pensamentos. Me vem a mente o trecho de uma música do meu irmão Rogers "a noite vem e me faz pensar, o que me trouxe aqui. Sair em busca de um ideal e assim eu sou feliz, porque eu vivo a vida que eu quis…"…

Esperando o avião

A hora da viagem sempre é complicada. Nunca sabemos que horas o avião irá chegar, e nem mesmo se irá chegar. Ás nove já está tudo pronto: mochila arrumada, barraca empacotada, equipamentos nas caixas, remédios, alimentos… Aguardamos no posto de saúde, juntamente com o Agente Indígena de Saúde e sua família. Dez horas e nem…

Ou frio, ou pium

Que frio. O consolo é que dentro eu ficava livre do pium. A praga amazônica, os demônios em forma de ponto. Há muito tempo eu não ia a um lugar com tanto pium, e se fui, a sensação foi tão ruim que meu cérebro fez questão de eliminar da memória. Na orelha, na boca, nos…

Banho de Cachoeira no Samã

Fui o último a chegar. As crianças rapidamente tiraram a roupa e se jogaram no poço formado pela bela cachoeira. Lugar daqueles que faria sucesso no sul. Exceto por dois problemas… vamos a eles, pois até mesmo no paraíso a gente encontra dificuldades: Pense em uma água fria. Pensou? Pois é. Era mais. E eu…

O menino dos cajus

Para o banho recomendaram uma cachoeira. Vinte minutos na perna pelo lavrado. Muito bonito, com as crianças me acompanhando para pedir os “tiros” de cada pássaro, árvore ou pedra diferente. Eu fotografei mesmo foi o menino com os cajus. Este texto faz parte das Impressões Amazônicas 71

Dificuldades de falar na língua

Apesar do nome tradicional da comunidade por onde passa o rio de mesmo nome, ninguém fala mais a língua materna. Seu Nonato, que vem do Arai com a esposa e os filhos, comunidade distante cerca de uma hora “na pernada” explica. – Nem eu aprendi a língua Macuxi. Já tenho 44 anos. Quando fui para…