As pernas fracas de seu Hernesto

As vezes reclamamos das distâncias que percorremos para o trabalho ou estudo. Aqui tudo é mais difícil, além de não haver transporte público, o sol é equatorial, cega e esgota, e mesmo assim as pessoas não reclamam… ou reclamam pouco. Um dos que reclamou foi seu Hernesto, professor de língua materna e que dá aula…

Na aldeia tudo é muito natural

Na aldeia tudo é muito natural… assim, enquanto espera o momento de ir para a cova, a urna funerária descansa ao lado de nossas barracas na Aldeia Serra do Sol.

Causas de óbitos entre os pequenos

Isso me lembra que mais da metade dos óbitos infantis que investigamos tem como causa identificada pelos pais as “doenças tradicionais”. Embora entre adultos o canaimé seja normalmente o envolvido, especialmente associado a vingança, entre crianças pequenas é mais comum a responsabilidade ser da “mãe-do-campo” por quebras do resguardo, tanto da mãe, quanto do pai,…

A menina e o “Bicho-da-serra”

Hoje fui atender uma criança na Ponta da Mata, comunidade que fica na ”esquina” da ponta da serra com o começo do céu. São cinco minutos de vôo ou duas horas de perna – fomos voando. Fui ver uma menina de 11anos, com paralisia cerebral, que havia parado de comer há 4 dias. A menina…

Seu Joaquim tem problema “no material todo”

Aldeia Vista Alegre Embora a maior parte do meu trabalho seja com crianças, a falta de médico nas comunidades faz com que as vezes eu tenha que atender adultos como seu Joaquim, que veio queixando-se de “problema no material todo”. A princípio não entendi bem o que ele quis dizer, mas depois de reclamar de…

História de terror indígena no hospital

Nossa ignorância por vezes é cruel com os indígenas que devemos socorrer. Recentemente, para nossa alegria, um pequeno curumim teve alta da UTI. Como já contei, até estarem grandes as crianças dos grupos Yanomami não tem nomes, assim são registrados no hospital como Filho de… ou Filha de… Assim, lá fomos nós chamar a Cecília…

Mamãe Bekwoikotiiiiiiiiiiii

Bekwoikoti é uma senhora vaidosa. Nos seus quase oitenta anos, Bekwoikoti, também chamada de Luiza adora contar histórias, usar enfeites e gritar com uma voz aguda para qualquer um que fala seu nome errado: “Bekwoikotííííííííí”. Impossível não aprender. Como apareceu um tumor no pé desta senhora, a encaminhei ao cirurgião, que ao examinar marcou uma…

Doença de Índio, doença de branco

As doenças como em todo consultório médico, se repetem. Crianças têm infecções de pele (muito), febre, dor de ouvido, bronquite (asma), diarréia, verminose, vômitos e… queixa universal, estão “iiiiiiiire! Kupran ket!” ou seja… “maaaaaagras! Não comem nada!” Adultos tem dor nas costas e musculares de modo geral, problema de vesícula, gastrite, fraqueza. Os Kaiapó são…

Vida de médico na aldeia

As pessoas sempre me perguntam sobre como é minha rotina nas aldeias. Vou tentar explicar um pouco, lembrando sempre que as diferenças são muitas entre uma etnia e outro, entre um Distrito Indígena e outro. Embora eu trabalhe com índios que preservam bem sua cultura, são índios que também tem bom contato e aceitação da…

Orelha de Peixe e as Nira sem roupa

Atendi uma índia com nome bem diferente. Tepamak. Sim, vocês vão me dizer, “mas todo índio aí tem nome diferente”. Eu sei, eu sei, mas tep quer dizer peixe. Amak quer dizer orelha. Então ela chama-se Orelha de Peixe. Só não sei que espécie de peixe orelhudo é este. Hoje também aconteceu uma história engraçada…