Nomes diferentes… e conversa com as crianças

As crianças cercam o barco, depois cercam a carga, depois cercam você. Curiosos, você se torna atração turística para eles. Algumas crianças, poucas vezes viram alguém de fora, então cada visita é uma novidade. Sorriem, conversam, falam, mesmo que você não entenda nada. Perguntam seu nome. Perguntam de novo. Perguntam mais uma vez. Os nomes…

Como os curumins aprendem arco e flecha

Estamos na Aldeia Santa Maria. Este é o filho de nosso agente de saúde, em sua folga após a escola e antes do almoço. Para fazer uma boquinha, nada como treinar arco e flecha com alvo apetitoso. E viva o caju! Não é fraco não!!

Brincando de Cavalinho com Anta

Se as crianças na cidade brincam com uma vassoura imaginando-a um cavalo ou uma moto, na Aldeia Jatapuzinho o que faz as vezes de veículo é um dócil filhote de anta. Assim o curumim brinca de moto no lombo da anta…

Aguardando a consulta…

Enquanto espera a consulta a pequena Ingaricó descansa… Não podia arranjar um local mais confortável? Para criança todo lugar é confortável!!!

O guerreiro e o caju

O pequeno guerreiro deve estar com muita vontade de derrubar um caju, pois mesmo sem roupa nem se abalou com os carapanãs e piuns!!!

Criança que brinca com fogo… Cuidados com seu curumim

O sol se pôs e a noite já chega. Criança sem ter o que fazer, inventa. Sem pais por perto então, melhor. E lá se vai fogo no mato. Eram cerca de seis crianças, a mais velha por volta de uns sete anos, algumas peladas, e as chamas maiores do que elas. Como se fosse…

Brinquedos das crianças Kaiapó

As crianças tem brinquedos de madeira interessantes, tudo feito pelas mãos hábeis de um pai ou avô. Já vi caminhõezinhos e hoje vi um mátko (avião) de brinquedo. Além dele os meninos vieram com arcos e flechas, empolgados, verdadeiros caçadores. Assim que se aprende. Há pouco tempo li que os Kanamary do Amazonas, que vivem…

Aldeia Kriny – Kaiapó

Kriny – Novembro de 2006 Estou em Kriny, uma aldeia completamente diferente das demais. Aqui só se chega de carro, 240km percorridos em pouco mais de seis horas. Sim, eu disse SEIS horas. Buraco, lama e pontes que parecem ter saído do Rally dos Sertões. E na verdade são, pois esta estrada por alguns anos…