Não sou do silêncio espaçado, mas das palavras que jorram

A ansiedade me faz andar, não muito certo sobre a direção da aldeia. Logo chega um indígena de bicicleta. “É o doutor?” ele me pergunta. Ele desce e começa a me acompanhar: “Estamos sem carro”. Pronto, explicado. Caminhamos por trinta minutos em silêncio após algumas explicações iniciais. É um povo habituado mais a silêncios do…

Filosofando sob as estrelas

Depois meu pensamento questiona as motivações da fé para este povo. Será a vontade de adorar? Quem será, para eles, este Cristo que talvez se confunda com as crenças dos antepassados, contadas de boca a ouvido, em noites ao pé do fogo e família reunida, momentos que não voltam mais nas aldeias invadidas pela energia…

Aprendendo a me espaçar na Serra do Sol

Povo daqui fala espaçado. Acho que é porque vive espaçado. Sempre que encontrei povo que vive espaçado, falava espaçado. Muito espaço entre as casas, muito espaço entre as palavras. Se o vizinho é sempre o mesmo, logo acaba a fala. Sabe-se tudo. De tudo. Sem fofoca ou novidade. Aí se habitua a falar o quase-nada…

Filosofias de viagem

Dia 5 de setembro é o Dia do Amazonas. Com um feriadão de 5 dias não há como ficar parado aqui. Já consigo sossegar nos finais de semana, mas quando não quiser fazer nada nos feriados… por favor me internem. Vou de hidroavião a Iquitos. O vôo é da força aérea, mas é comercial. Enquanto…