Vida e Morte na Serra do Sol – o ciclo perpétuo

1º dia: peso, altura, vacina e… peito! Ontem nasceu uma menina aqui na Serra do Sol. A alegria da família pela primeira filha e primeira neta irradiava para todos ao seu redor. O trabalho de parto foi longo, mas a menina chorou bastante e logo estava no peito da mãe. Ontem faleceu um ancião aqui…

Acidente ofídico na aldeia

São 16:00h agora. O agente de saúde vem informar que no domingo (há cerca de 72horas) um indígena de uma comunidade próxima foi picado por uma cobra e não quis vir para cá. Próximo por aqui significa quatro horas de caminhada e com esta chuva até um pouco mais. Não adianta sair agora, será o…

Vacinando na Aldeia

Iniciamos o trabalho de vacinação. É impressionante. As crianças escutam seus nomes e vão sozinhas para o “banco da vacina”, onde sentam e esperam, sem cara feia, sem pio e sem choro. O vacinador chega, elas levantam a manga da blusa e assistem a aplicação. Nem uma lágrima. Bem diferente de nossas crianças, que as…

A “maloca de Caras” e a maloca dos caras

Da pista para a aldeia se atravessamos uma pequena mata de árvores altas. A mata acaba e surgem as malocas, bem tradicionais. Em uma maloca circular pequena, tipo que só encontrei nas aldeias Ingaricó, usadas tradicionalmente para depósito de material e alimentos, as mulheres ficarão abrigadas: nutricionista, dentista e técnica de enfermagem. Embora seja comum…

Comendo frutas exóticas e algo mais na aldeia

A terra parece tão fértil quanto as mulheres. Escura. Promissora. Encontramos abacaxis, bananeiras, pés de manga, de goiaba, disto e daquilo. Isto é “uiui”, planta com jeitão de cuia e da qual comemos as sementes, cozidas. Aquilo parece um tomate ou um caqui duro. “mucru” pelo que pude entender, mas pode ser outro nome. Cozido…

Aldeia Mapaé

Estou na Aldeia Mapaé, bem próximo da base do Monte Roraima. Dizem que a vista é maravilhosa, o que ainda não pude conferir, pois chegamos sob tempo encoberto e desde então não para de chover. Esta é a aldeia Ingaricó mais distante, e onde é maior o índice de desnutrição, conseqüência mais do uso continuado…

Tubérculos para caxiri

Dependendo do vegetal utilizado, o caxiri adquire diferentes cores e consistências. Para mim o mais bonito é o cor de rosa, feito com esta raiz compridinha abaixo, que é bem escura. Aquela cor-de-rosa da segunda foto segundo eles ao virar caxiri fica clara e não dá cor. O resultado final desta raíz comprida é aquela…

Dançando Aleluia com os Ingaricó

Ao final, após o tuchaua agradecer fomos convidados para dançar “aleluia”. Já estávamos com fome, mas convite do dono da casa não se questiona, se cumpre. Mais uma vez tentei fotografar sem ter a necessária competência – e um gravador – para registrar este momento único. Som e dança se fundem e nos transportam a…

Educação em Saúde – Palestra na Maloca

12 de março Pela manhã nos dirigimos ao malocão para a palestra da saúde. O AIS Alemão, de azul, falando. Ele ganhou este apelido porque era louro na infância. Ao menos é o que me contou.   Atenção total

O “ciclo do caxiri”

Aproveito para registrar o “ciclo” do caxiri. Os diferentes tubérculos, a prensa (tipiti), o cozimento e até o consumo. Não tive como declinar o caxiri com beiju oferecido pela filha de Dona Catarina. A mandioca-macaxeira-aipim é um fruto abençoado da terra e que sustenta muita gente, mas tem outra grande qualidade: e danado de fotogenico,…