Enquanto a chuva não passa…

Esperamos no posto de saúde. Mulheres catam piolhos e crianças, curiosas, ficam nos olhando. Encaram de perto. Somos o exótico. Se tivessem câmaras com certeza estariam nos fotografando. Queria ficar mais, ver mais, saber mais, sentir mais. Fico com o gosto do pouco que tive quando saímos correndo sob a chuva fina e voamos, decolando…

A “maloca de Caras” e a maloca dos caras

Da pista para a aldeia se atravessamos uma pequena mata de árvores altas. A mata acaba e surgem as malocas, bem tradicionais. Em uma maloca circular pequena, tipo que só encontrei nas aldeias Ingaricó, usadas tradicionalmente para depósito de material e alimentos, as mulheres ficarão abrigadas: nutricionista, dentista e técnica de enfermagem. Embora seja comum…

O dia que atendi Daniela Cicarelli na maloca

Daniela Cicarelli sorri quando caminha em minha direção. Não estou sonhando, nem estou na São Paulo Fashion Week. Daniela Cicarelli é uma pequena indígena de quatro anos, que mora na aldeia macuxi São Luiz, as margens do rio Cotingo, município de Uiramutã. Este post faz parte das Impressões Integrais 73

Dançando Aleluia com os Ingaricó

Ao final, após o tuchaua agradecer fomos convidados para dançar “aleluia”. Já estávamos com fome, mas convite do dono da casa não se questiona, se cumpre. Mais uma vez tentei fotografar sem ter a necessária competência – e um gravador – para registrar este momento único. Som e dança se fundem e nos transportam a…

Na Maloca Ingaricó

Já fomos a 3 malocas e as crianças já foram pesadas e estão bem. As rocas se espalham ao longo do rio e a terra parece tão fértil quanto as mães. Haja curumim por aqui. Entro em mais uma maloca. As moradias ingaricó sao bonitas. Estrutura de madeira coberta de barro. Teto de palha. Janelas…

Também tem marajá na aldeia

Flagrei esta casa na Aldeia Malacacheta, no dia da Festa da Damurida. Dois andares… não é maloca pra qualquer um não!!!

O pequeno arqueiro e os nomes ocultos.

Descobri uma coisa interessante. Embora eles já tenham seus nomes “de branco”, a maioria dos Yanomami tem outros nomes, que são “ocultos”. Isto porque uma das maiores ofensas para eles é ter seu nome proferido em voz alta. Quando o nome é falado, um espírito que esteja próximo pode se apoderar do nome e fazer…