Entrando na Guyana

Toda vez que vamos a Guyana as rodas dos carros são detetizadas. Não entendo bem para que isso funciona de fato, até porque é muito mal feito, mas ao menos emprega os indígenas locais. A borrifação se dá na ponte mesmo, que separa a brasileira Bonfim, da guyanense Lethem.