Buscando a perfeição (?) na Fazenda Perfeição

Visito a Fazenda Perfeição, abandonada por seus antigos proprietários e hoje ocupada por uma família macuxi que cuida do gado. A fazenda era modelo, grande, bonita, com grandes mangueiras que oferecem sombra generosa, inclusive para a pequena lápide onde repousa um anjo. Miladir, nosso motorista nos informa: “o fazendeiro sempre tinha uma mesa servida para…

Visitando a Raposa

A primeira região que visito é a Raposa, da Raposa Serra do Sol. Tem este nome porque o fundador da comunidade tinha uma raposa de estimação que um dia sumiu. Quando ele foi atrás dela encontrou um belo igarapé e resolveu ali formar sua comunidade que ganhou o nome do animal, como sua família ganhou…

Primeiras impressões de Normandia

Normandia. Nome francês para uma região bem brasileira. Aqui neste pequeno município de cerca de 7000 pessoas, totalmente encravado dentro da área da Raposa Serra do Sol passarei dez dias visitando diferentes comunidades. Não vou encontrar indígenas “bonitos para foto” como gostam os amigos do Sul. Os Macuxi com quem irei conviver tem escolas de…

Reflexões de um nascer do sol…

Acordei cedo para ver o nascer do sol. Lindo. Já com luz, sento na porta da barraca para apreciar. Lindo, lindo. Mas… para quem mora aqui como será? O que é melhor? Ter um ver-de-sempre infinito como este e até esquecer sua belezura ou ter um ver-de-sempre urbano, que nos faz contentar com pouco… uma…

Criança que brinca com fogo… Cuidados com seu curumim

O sol se pôs e a noite já chega. Criança sem ter o que fazer, inventa. Sem pais por perto então, melhor. E lá se vai fogo no mato. Eram cerca de seis crianças, a mais velha por volta de uns sete anos, algumas peladas, e as chamas maiores do que elas. Como se fosse…

Filosofia do Tuchaua

Não pensem que foi só o desjejum. Antes, o nosso animado tuchaua falou, falou, falou A comunidade se juntou aos poucos, nem todos prestaram atenção, mas ele não se abalou. Depois pediu que todos ficassem de pé e fez uma oração em sua língua, falando de Jesus Cristo. Ao final todos cantaram. Uma moça puxou…

Tuchaua animado na terra do Canaimé

Os adultos são diferentes, especialmente os homens. Quando estou montando minha barraca o tuchaua, chega de viagem: óculos amarelo, tenis estiloso, camisa nova, ainda com etiqueta do preço e um sorriso rasgado acompanhado de uma gargalhada estridente. Nos oferece caxiri, mostra a pista nova (o nosso foi o primeiro pouso), oferece caxiri novamente, conta que…

Comunidade / Aldeia Paraná – Etnia Ingaricó

Falaram que esta comunidade é menor que a Área Única, mas acho que não. É, com certeza, mais antiga, com casas já rebocadas, e com gente mais jovem. No primeiro encontro não vejo ninguém mais velho que eu – virei ancião!! Risos… Novamente somos saudados com estilo. A agente de saúde está com batom rosa-pronto-para-festa…

Aprendendo a me espaçar na Serra do Sol

Povo daqui fala espaçado. Acho que é porque vive espaçado. Sempre que encontrei povo que vive espaçado, falava espaçado. Muito espaço entre as casas, muito espaço entre as palavras. Se o vizinho é sempre o mesmo, logo acaba a fala. Sabe-se tudo. De tudo. Sem fofoca ou novidade. Aí se habitua a falar o quase-nada…

Mais histórias Ingaricó

Escurece e em pouco tempo todos se recolhem. Silêncio total sob o céu sem lua. Estrelas? Tantas que seu brilho ilumina a noite escura. Sinto-me ao mesmo tempo minúsculo mas com o espírito imenso de alegria. A vida tem várias nuances e esquecemos do valor da simplicidade. Aqui o simples me recorda do tanto que…