Até a próxima, Seu Januário

A prosa estava boa, a música nem tanto, mas estava na hora de irmos embora. Compramos uma palma de banana e nos despedimos, transportados para um tempo que hoje só existe em memórias de gente como seu Januário. Este post faz parte das Impressões Integrais 82

A riqueza de seu Januário

Seu Januário conta do dinheiro que mudava de mãos com facilidade. Diz que vinha gente de avião só para jogar bola, que havia muita festa. – Naquele tempo tudo era barato. Hoje sua riqueza vem de outro lugar: – Tenho dinheiro certo. Sou aposentado pela idade.   Fartura… coco, banana, buriti, buriti, buriti… Este post…

As visagens do Tepequém

A música espanta a solidão de quem vive sozinho e talvez espante o sobrenatural: – Aqui não tem fantasma, mas tem visagem. Muita alma de gente que morreu nestas bandas.  De noite escuto barulho de gente lavando pedra no rio. E atiram pedra na minha casa, mas nunca vi ninguém. As "alma" viram tamanduá, e…

O show do seu Januário

Aos 75 anos seu Januário ainda tem disposição para caçar: – Tem muita paca aqui. E tatu, cutia, jacaré. O problema é que esse povo da cidade não gosta mais dessas comidas. Tem dinheiro e só quer carne de açougue. Não sabe o que é bom. Morando sozinho sua companhia é somente a natureza e…

A “casa” de Seu Januário… este nunca bamburrou

E esta é a casa. Casa? Sim, casa. Todos queriam uma coisa só: bamburrar. Tirar a sorte grande. Encontrar "a" pedra. O diamante valioso, ao mesmo tempo pé-de-meia e aposentadoria. Seu Januário quer até hoje. Ele resiste. Um dos poucos que continua depois de proibido o garimpo mecânico e da retirada da maior parte das…

Vila do Cabo Paiva – Tepequém – RR

Na Vila do Cabo Paiva, Seu Januário mora solitário em uma cabana, vizinho de porta com a mata e de léguas com mais dois garimpeiros, todos esquecidos pelo mundo, ricos em memórias do ontem e esquecimentos do hoje. Quando ele chegou por ali cada lugar era disputado por bares, casas de pouso – onde mulheres…

Tepequém… ah o Tepequém…

Se hoje o cenário é disputado por poucos turistas buscando a riqueza concreta das cachoeiras, na época era disputado por um sem-fim de garimpeiros em busca da riqueza fugaz dos brilhantes. Este post faz parte das Impressões Integrais 82

Apresentando Seu Januário

Seu Januário Felismino nasceu em 1937 na Serra da Moça, aqui mesmo em Roraima. Na década de 70 chegou no Tepequem, em busca do diamante, riqueza fácil mais difícil de se conseguir. Este post faz parte das Impressões Integrais 82

Vila do Cabo Sobral: Tepequém

Uma das atrações turísticas no Tepequém é a Vila do Cabo Sobral. Pensando bem, não é nada assim demais, mas em um estado com poucas opções, não deixa de ser interessante e diferente. Tepequém já foi o paraíso dos garimpeiros. Embora tenha crescido nos últimos anos com a abertura de alguns restaurantes (PF e sanduíche)…

Natal no Tepequem

Para quem gosta de barraca, nada melhor do que o Natal ao ar livre e no Tepquem. Banho de cachoeira durante o dia, peru com vinho a noite e depois… aquele fresquinho na barraca!! Esta para mim é o Natal ideal: simples e significativo. Ainda mais na companhia da Lídia, Pompom e dos amigos queridos…